OS TÁPES - Janaíta

JANAÍTA _ OS TÁPES
Não digas não
Limpa os olhos
Mostra os dentes
Flor intacta sol ardente
No galpão se fez mulher

Janaíta sete irmãos
Janaíta pai peão
Janaíta não diz não
Janaíta não diz não

O corpo fechado
Como rosa botão
Abriu-se inocente
Brotou no seu ventre,
A condenação
Brotou no seu ventre
A condenação

Janaíta sete irmãos
Janaíta pai peão
Janaíta não diz não
Janaíta não diz não

O corpo cansado
De andar mão em mão
O sorriso ensaiado
Perdeu-se com os dentes
Morreu-se a ilusão
Perdeu-se com os dentes
Morreu a ilusão

Janaíta sete irmãos
Janaíta pai peão
Janaíta não diz não
Janaíta não diz não

O rancho estragado
A mão sem tostão
Es pasto amassado
Es mate lavado
Açude esgotado
Açude esgotado
És forno sem pão

Janaíta sete irmãos
Janaíta pai peão
Janaíta não diz não
Janaíta não diz não










Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUERÊNCIA AMADA ( flauta doce)

LUA E FLOR ( FLAUTA )- Osvaldo Montenegro